Afinal, como calcular o investimento inicial para abrir um negócio?

Carreira DESTAQUES POSTS

Quando o assunto é a abertura de um negócio próprio, muitas questões afligem futuros empreendedores. Dúvidas relacionadas ao funcionamento da empresa, aceitação do mercado e administração do fluxo de caixa são só alguns dos pontos que exigem atenção especial por parte de quem está empreendendo.

A negligência de cada uma dessas questões pode ser fatal para a empresa. Isso porque a falta de planejamento e organização faz com a maioria das empresas brasileiras feche as portas após completar cinco anos. De acordo com o IBGE, de cada dez empresas, seis não conseguem se sustentar no mercado e acabam encerrando as operações antes mesmo de completarem uma década de fundação. 

Essa é uma estatística que pode assustar e até desanimar quem está pensando em começar a empreender. No entanto, com estudo prévio e preparação, é possível ficar na fatia daqueles que têm sucesso — ainda que sejam minoria.

Para dar o pontapé inicial, é preciso começar calculando qual é o investimento inicial necessário para que as coisas comecem a funcionar, considerando os gastos com matéria-prima, pessoal, contas ao final do mês, divulgação etc.

Algumas ferramentas podem ser fortes aliadas a esse planejamento e ajudam a garantir a prosperidade do empreendimento. Por isso, listamos algumas que vão auxiliar o estabelecimento e a administração do investimento inicial para abrir o próprio negócio. Não perca tempo e confira cada uma delas para impulsionar sua empresa!

Usar ferramenta de planilha

As planilhas são ferramentas relativamente simples, mas que fazem total diferença para o funcionamento de um negócio. Grandes empresas organizam seus dados e realizam análises a partir delas — e esse é um ótimo indicativo do poder de impacto que as planilhas podem exercer em empresas de pequeno e médio porte.

Elas podem auxiliar o armazenamento de informações, como gastos, receitas e saldo com fornecedores. Além de dados financeiros, uma empresa que trabalha com produtos, estoque e armazenamento também pode utilizar as planilhas para manter o controle do que existe em depósito e do que precisa ser comprado.

Algumas fórmulas e programações podem auxiliar a realização de contas e organização das informações — além de automatizar a gestão. Para aprofundar esse conhecimento, é recomendado buscar cursos ou profissionais que possam ajudar e explicar cada uma das funcionalidades oferecidas pela ferramenta.

É possível encontrar muito conteúdo interessante e gratuito apenas digitando “Excel” na plataforma de vídeos YouTube. Lá, muitos canais disponibilizam aulas e esclarecem dúvidas a respeito do tema. Dedicar um tempo a esse aprendizado certamente trará retornos significativos para sua empresa no futuro

Levantar os custos de abertura

Ao decidir começar um negócio próprio, é importante conhecer os custos aos quais você incorrerá para que o orçamento se mantenha equilibrado desde o início. Para isso, levantar os possíveis custos de abertura é fundamental para a prosperidade do negócio.

Ao tratar da abertura de uma empresa no Brasil, é fundamental ter consciência de que a lista de custos é extensa. A documentação necessária para dar início às operações implica em custos legais e burocráticos que podem variar de acordo com a localidade.

Registro da marca, emissão de certidões, certificado digital e licenças necessárias são algumas das documentações que precisam de um investimento inicial considerável. Sua estimação vai permitir, assim, que as saídas de capital sejam planejadas e organizadas a fim de manter a saúde financeira do empreendimento.

Realizar pesquisas de mercado

A pesquisa de mercado também é uma ferramenta essencial para o sucesso do negócio. Como define o Sebrae, ela consiste em uma orientação para futuros empreendedores começarem suas operações por meio da coleta de dados em entrevistas e questionários ou da análise de dados já coletados, por exemplo, em pesquisas do IBGE.

Assim, a pesquisa de mercado permite a definição de um público-alvo, além de possibilitar que a empresa conheça o perfil dos consumidores, o potencial do mercado, os hábitos de consumo, dentre outros fatores que afetam diretamente seu funcionamento.

O Google também pode ser um aliado dessa pesquisa, uma vez que disponibiliza ferramentas como Google Trends e Google Analytics, as quais oferecem maneiras de conhecer melhor o mercado no campo de consumo online. Isso porque a primeira é uma alternativa de análise do interesse dos internautas e a segunda fornece informações sobre o perfil de cada um deles. Essas informações são valiosas para direcionar o negócio ao público certo e, dessa forma, otimizar os resultados.

Especificar os custos mensais

Além dos custos iniciais explicitados anteriormente, como gastos jurídicos e de registro legal, impostos, possíveis licenças, dentre outros, a abertura de uma empresa também faz com que seja necessário especificar os custos mensais.

Despesas com material, salário dos funcionários, aluguel, contas de água e luz, fornecedores e divulgação representam alguns dos custos que precisam ser contabilizados mensalmente para manter o bom funcionamento da empresa. 

A planilha, como foi dito, é uma excelente opção para acompanhar cada um desses gastos e ter controle sobre eles. Com a comparação mês a mês, você também pode determinar metas de redução de gastos e estimular os funcionários a economizarem na conta de luz, por exemplo.

Essa é uma prática que, além de ser sustentável financeiramente, pode contribuir bastante para a preservação do meio ambiente. 

Fazer a análise das informações

A coleta de informações é importante, mas de nada adianta realizá-la sem analisar os resultados obtidos. Por isso, fazer um estudo dos dados e entender como cada uma das informações pode afetar o negócio é uma atividade imprescindível para o sucesso.

Essa análise pode ser feita por meio da elaboração de relatórios, organização de reuniões e uso de ferramentas estatísticas. As conclusões devem, assim, servir como norte para a tomada de decisão e direcionamento do negócio, de modo a garantir que as chances de um início promissor aumentem. Essa prática também auxiliará a definição do investimento inicial e de como administrá-lo.

As questões que cercam o investimento inicial para abrir o próprio negócio são muitas, mas é possível se preparar e planejar o fluxo de caixa para que o empreendimento já comece saudável. 

Se você zela por suas finanças e quer continuar aprofundando os conhecimentos a respeito do tema, confira também o artigo em nosso blog sobre como organizar as contas sem uma renda fixa. Boa leitura!