Como garantir uma aposentadoria tranquila?

DESTAQUES POSTS Previdência Privada

Você já pensou em ter uma aposentadoria tranquila e desfrutar mais da vida quando estiver mais velho? Pois existem muitas formas de garantir uma vida mais calma e despreocupada na melhor idade — você só precisa saber qual delas é a mais indicada no seu caso.

Sabemos que é preciso aproveitar o agora, vivendo intensamente os bons momentos. Mas isso não significa que você deva negligenciar a sua segurança financeira e de toda a sua família. Por isso, você deve pensar em como garantir uma aposentadoria tranquila e de que forma você pode proteger os que você mais ama. Para isso, existe o seguro de vida ou a previdência privada.

Essas são maneiras eficientes de garantir que tanto você como seus familiares estarão protegidos financeiramente. Além disso, atuam como facilitadores e simplificadores na transmissão de bens e recursos aos seus herdeiros.

Neste post, vamos explicar quais são as principais diferenças entre um seguro de vida e um plano de previdência privada, para que você possa fazer a melhor escolha para sua família. Também vamos dar dicas simples e eficientes de como chegar à aposentadoria com tranquilidade financeira.

O que é o seguro de vida?

De uma forma simples, um seguro de vida é um contrato que garante herança e proteção contra invalidez ou morte. Esse seguro protege o segurado e sua família no decorrer do acúmulo de patrimônio, tanto com planos de previdência privada como com quaisquer outras formas de investimentos financeiros.

Todas as aplicações financeiras, seja previdência, seja outro ativo, só permitem que o investidor usufrua em vida e transmita aos seus herdeiros o que foi capaz de acumular. Já o seguro de vida atua de duas formas: como segurança para casos de invalidez e como um atalho para o planejamento financeiro.

Por exemplo, se o indivíduo que contratou o seguro ficar inválido durante o tempo em que está acumulando seu patrimônio, ele terá direito à indenização do seguro de vida. Assim, não precisará usar os recursos da sua previdência privada ou dos seus outros investimentos.

Quando o mesmo tipo de situação de invalidez acontece com alguém que não tem um seguro de vida, será preciso usar o dinheiro que conseguiu juntar para arcar com o seu sustento e o da sua família. O problema é que nem todo mundo consegue guardar recursos suficientes para conseguir pagar todas as contas pelo resto da vida sem trabalhar e, ainda, deixar algum patrimônio para os seus herdeiros.

Mencionamos que o seguro de vida também é um caminho mais curto para a pessoa que deseja assegurar um conjunto de bens materiais aos seus descendentes. Isso quer dizer que, se você quer deixar R$2 milhões para sua família, pode optar pela contratação de uma apólice nesse mesmo valor, garantindo que eles receberão essa quantia.

Afinal, caso o segurado venha a falecer antes de ser capaz de juntar os R$2 milhões, o seguro pagará essa soma aos familiares beneficiários.

O que é a previdência privada?

A principal finalidade de um plano de previdência privada é poupar recursos para objetivos de longo prazo, como a aposentadoria. O dinheiro acumulado nesse investimento é aplicado para a geração de uma rentabilidade. Uma das grandes vantagens é que existem diversos incentivos tributários para essa aplicação.

Quando chegar a hora, o titular do plano terá o direito de desfrutar de tudo que juntou de duas maneiras: resgatando tudo de uma só vez ou, então, mensalmente. O contratante da previdência é quem decidirá qual a forma de sua preferência.

Apenas é importante ressaltar que o dinheiro disponível para usufruto do investidor será somente o valor que ele acumulou. Ou seja, se juntou R$1 milhão, terá R$1 milhão, mas se juntou só R$50 mil, terá somente esse valor para usar.

A principal distinção entre o seguro de vida e a previdência privada é que, no caso da previdência, não precisa acontecer nada para a pessoa receber o dinheiro. Também não há necessidade de realizar nenhum procedimento de sinistro para o titular acessar seus recursos.

Por essa razão, um plano de previdência privada é bastante indicado para quem deseja usar o dinheiro que juntou ainda em vida, mesmo que não tenha chegado o momento de se aposentar. Trata-se de uma ótima forma de investir seu capital.

Como escolher entre seguro de vida e previdência privada?

Agora, chegou a hora de explicarmos para você em quais cenários é mais vantajoso optar pelo seguro de vida ou pela previdência privada. Os dois são bastante indicados para quem deseja realizar um planejamento sucessório, ou seja, conceber um plano para transmitir seus bens aos seus herdeiros.

O seguro de vida e a previdência privada não entram em inventário quando o titular morre. Portanto, não há necessidade de enfrentar nenhum processo burocrático para que tudo seja transmitido aos beneficiários nomeados em contrato. Além do mais, esses dois investimentos possibilitam que o titular inclua beneficiários que não estejam entre os seus descendentes.

Principais vantagens do seguro de vida

Os seguros de vida contam com alguns benefícios importantes. Conheça os principais:

  • não incidência de Imposto de Renda (IR);
  • não incidência do Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) — um tributo estadual aplicado no caso de doações e heranças;
  • impossibilidade de penhora, caso o titular venha a ser alvo de algum processo judicial.

Principais características da previdência privada

Um plano de previdência privada funciona de uma forma diferente do seguro de vida em relação aos pontos que abordamos acima. Entenda:

  • o IR é cobrado no momento do resgate, sendo que as alíquotas variam entre 10% e 35%;
  • nem sempre um plano de previdência é isento de ITCMD;
  • existem estados brasileiros que cobram até 8% de ITCMD quando o titular transmite a previdência aos seus beneficiários;
  • de acordo com entendimentos do Superior Tribunal de Justiça (STJ), existem brechas na lei para possibilidade de penhora, especialmente em situações em que a previdência não é utilizada para sustentar o titular durante a sua aposentadoria.

Dicas de como garantir uma aposentadoria tranquila

Chegou a hora de você conhecer dicas práticas, simples e eficientes de como garantir uma aposentadoria tranquila. Vamos lá!

Saiba o quanto você precisa juntar

Qualquer planejamento precisa ser iniciado com o estabelecimento do objetivo pretendido. Isso também vale para planos voltados à aposentadoria.

Para começar sua preparação para essa fase da vida, determine qual é o padrão que você quer ter ao se aposentar. Com base nisso, fica mais simples calcular a quantia que você precisa juntar até chegar o dia da sua aposentadoria.

Estabeleça um valor mensal

Depois de estipular a sua meta para quando você se aposentar, é fundamental que você faça as contas do quanto precisará poupar mensalmente para alcançar o seu objetivo. O raciocínio é bem simples. Pense que você precisa acumular um valor que, quando investido, retorne um rendimento mensal duas vezes maior do que você quer ter a cada mês.

Dessa forma, metade desse dinheiro terá como função garantir o padrão de vida que você definiu. A outra metade deverá ser reinvestida. Afinal, você precisa dar seguimento à sua aposentadoria.

Ter disciplina é imprescindível. Pense que esse dinheiro será responsável pela garantia de um futuro tranquilo para você. Então, seja organizado e metódico com a sua poupança mensal.

Provisione o retorno do seu investimento. Indicamos que você seja conservador e considere o teto do retorno anual de, no máximo, 5% acima da inflação.

Reveja o montante regularmente

Existem várias razões que podem impactar o seu planejamento para ter uma aposentadoria tranquila. Entre elas, estão a situação econômica do país, a política de juros governamental, o cenário dos investimentos e as mudanças na sua vida profissional.

Por conta disso, é imprescindível que você entenda seu plano como algo que pode necessitar de mudanças no decorrer dos anos. Uma boa analogia é enxergar esse planejamento como um vaso de argila, que pode ser moldado segundo o momento presente.

Quando você passar por fases de prosperidade financeira, faça uma análise e veja o quanto dá para aumentar a quantia investida. Pode ter certeza de que essa renda complementar será super útil em situações emergenciais.

Resumindo, não deixe de revisar seu plano de aposentadoria regularmente, acompanhando seu progresso e fazendo as mudanças necessárias.

Comece a poupar o mais rápido possível e seja regular

Sabemos que pode ser complicado começar a pensar em quando você se aposentará antes dos 30 anos, enquanto você ainda está em uma fase não tão madura da sua vida profissional. Entretanto, ressaltamos que o que está em jogo é a construção do seu patrimônio, de modo a garantir a qualidade de vida que você quer para o seu futuro.

Se você é o tipo de pessoa que não consegue estipular e seguir uma estratégia para poupar de forma regular, aconselhamos a escolha de uma opção de aplicação automática. Uma ótima alternativa são os planos de previdência privada, que deduzem as contribuições mensais diretamente da sua conta bancária, na data que você preferir.

Com essa leitura, ficou mais fácil entender que a previdência privada e o seguro de vida são proteções complementares para a sua vida. O melhor é utilizar um plano de previdência privada para acumular recursos a serem utilizados no momento em que você se aposentar, fazendo uso também das suas vantagens relacionadas ao planejamento sucessório.

Mas é fundamental que essa estratégia seja combinada com um seguro de vida. Afinal, no meio do caminho, imprevistos podem acontecer.

Agora que você já sabe como garantir uma aposentadoria tranquila, é preciso continuar bem informado, certo? Que tal, então, baixar nosso guia completo sobre a Reforma da Previdência?