4 doenças ocupacionais que um profissional liberal deve estar atento

Carreira DESTAQUES POSTS

Um profissional liberal é o responsável por definir sua rotina e intensidade de trabalho, não é mesmo? Talvez por isso, muitos deles dobrem sua carga de trabalho e se esqueçam das doenças ocupacionais que suas atividades podem causar.

É claro, faz parte preocupar-se com o quanto vai ganhar e garantir uma reserva que permita tirar férias e ter bons momentos de lazer com sua família. Mas, sem saúde, todo o plano fica comprometido, certo?

Pensando nisso, listamos, neste post, as principais doenças ocupacionais que rondam a vida do profissional liberal e quais medidas preventivas você realmente pode tomar para evitá-las. O assunto é sério, por isso, confira agora mesmo.

O que você precisa saber sobre as doenças ocupacionais?

As doenças ocupacionais são desencadeadas pelas atividades profissionais de um indivíduo, ou seja, acontecem no ambiente de trabalho. Podem ocorrer por esforço repetitivo, necessidade de carregar peso, estresse, posição ergonômica desfavorável e outras situações que são comuns das funções do trabalhador.

As leis trabalhistas são completas em relação a esse tema e impõem obrigações às empresas contratantes quanto à conscientização, prevenção e, se for o caso, suporte aos seus colaboradores que eventualmente adquirirem alguma doença ocupacional.

Mas o profissional liberal é quem determina sua forma de trabalho e não tem uma empresa que esteja atenta às condições e à forma como vem atuando, certo? Então, é fundamental saber reconhecer alguns sintomas, pré disposições e prevenção das principais doenças ocupacionais. Veja quais são elas.

1. Lesão por Esforço Repetitivo (LER)

O significado da sigla LER é explicativo e indica que ela é causada por esforços contínuos com o mesmo grupo de articulações, ossos e músculos. Pode ser agravado pela postura inadequada, uso incorreto de equipamentos e, até mesmo, pressão psicológica.

Ações preventivas, como a escolha de mobiliários corretos, uso dos equipamentos de acordo com suas orientações de ergonomia, realização de pausas e escolha de algumas tecnologias que possam automatizar parte dos processos, podem ajudar bastante.

2. Distúrbios Osteo musculares Relacionados ao Trabalho (DORTs)

A DORT é muito similar à Lesão por Esforço Repetitivo e é causada, principalmente, pela má postura na atividade. Se não tratada com a correção da ergonomia e o fortalecimento do grupo muscular, essa doença pode continuar evoluindo até um quadro de invalidez temporária ou permanente do profissional.

Assim, procurar mobiliários e equipamentos que sejam desenvolvidos para corrigir a postura, praticar atividades de fisioterapia e musculação orientadas por um profissional e, até mesmo, fazer pausas e alongamentos durante o trabalho é essencial.

3. Doenças relacionadas à visão

Doenças ocupacionais relacionadas à visão também são muito comuns, principalmente naquelas atividades que envolvem foco constante ou o uso de telas iluminadas. Alguns ambientes de trabalho também podem estar repletos de agentes químicos e biológicos que aumentam a incidência de doenças.

Conjuntivites, ardência, dificuldade de enxergar e até dor de cabeça são comuns para alguns profissionais liberais, como programadores, médicos, dentistas e enfermeiros. A dica é fazer o uso de todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPI), pausas regulares e acompanhamento com especialistas.

4. Doenças ocupacionais psicossociais

A maioria dos profissionais prefere negar ou acreditar que essas condições são normais e que fazem parte da rotina de trabalho como excesso de tensão, conflitos sentimentais, etc. Elas são consideradas doenças ocupacionais quando atingem um limite que abala a parte física, social e mental do profissional.

Pressão alta, gastrite, depressão, úlceras e outras condições de piora na saúde são constantemente tratadas isoladamente, quando, na verdade, precisam ser analisadas em conjunto. Para tratar tais situações, prevenção, respeito aos limites do corpo e cuidados com as finanças tiram do profissional a carga de responsabilidade de sempre trabalhar muito exclusivamente por necessidade.

Uma dica, por exemplo, é contratar um seguro de vida que tenha cobertura ampla para invalidez permanente ou temporária, doenças graves e acidentes com a Classic Seguros.

Ela pode personalizar um seguro de vida ideal, não só para cobrir as doenças ocupacionais, mas também dar a tranquilidade necessária para que você trabalhe dentro daquilo que for saudável para você. Converse com um consultor agora mesmo e saiba mais.