Fechar

Aviso
Devido ao feriado do securitário, não teremos expediente hoje.
Retornaremos nossas atividades dia 17/10.

Blog

Proteção para toda a família!

Home Blog Economias para cada fase da vida: o que você deve saber para começar?

Economias para cada fase da vida: o que você deve saber para começar?

POSTS

Ao longo da vida, surgem razões e motivos para se precaver de acidentes e doenças, por um lado, e para garantir amparo em circunstâncias difíceis, por outro. Assim, você pode observar que existem economias diferentes para cada fase da vida.

Nesse sentido, existe um ciclo da vida financeira de cada pessoa e ele tem características próprias a cada período da existência, desde a juventude até a velhice. Em razão disso, a importância e as razões variam com o tempo.

Continue a leitura e descubra o que você deve saber para começar agora a economizar.

1. O que é ciclo da vida financeira?

A dinâmica da conquista do bem-estar financeiro passa por momentos típicos que caracterizam as diversas situações referentes à obtenção e gestão do dinheiro ao longo da vida. O processo que se inicia com as primeiras economias até se alcançar aquele bem-estar é conhecido por ciclo da vida financeira.

Este ciclo apresenta 3 momentos que caracterizam a condição em que você pode estar:

  • acumulação de recursos;
  • aumento do capital;
  • preservação do patrimônio financeiro.

Esses 3 estágios do ciclo da vida financeira podem ocorrer em diferentes idades do indivíduo. No entanto, existem situações ideais nas quais cada fase etária da vida pessoal deveria dar a sua contribuição para o ciclo se completar da forma mais satisfatória.

2. Por que se preocupar em guardar dinheiro?

Dinheiro é um instrumento para aquisição de bens e serviços necessários à vida em sociedade. Além disso, é também o meio para realização da maior parte dos sonhos e desejos de qualquer pessoa.

Assim, fica fácil entender, em um primeiro momento, que poder dispor de dinheiro é necessário e, ao mesmo tempo, serve de instrumento de conquistas e realizações. Contudo, há mais coisas envolvidas com a importância de se guardar dinheiro. Veja a seguir algumas boas razões para fazê-lo.

Reserva para emergências

Situações de emergência acontecem e dificilmente podem ser previstas. Por essa razão, guardar dinheiro com o objetivo de construir um fundo de emergência para ocorrências inesperadas é uma iniciativa indispensável e um bom motivo para fazê-lo.

Realização de um projeto

Um projeto pessoal ou da família muitas vezes requer um aporte financeiro significativo. Para a maior parte das pessoas, o caminho mais seguro para obtê-lo é guardar dinheiro, acumulando até que se disponha do montante necessário.

Suporte para a família

É bastante comum em todas as famílias um filho ou um irmão enfrentar dificuldades financeiras, ainda que momentâneas. Nesses casos, poder dispor de uma ajuda para esses familiares pode ser motivo suficiente para muitas pessoas guardarem uma parte do dinheiro que recebem.

Tranquilidade para a aposentadoria

A tranquilidade de uma aposentadoria mais tranquila e segura é garantida de acordo com quanto mais cedo você começar a guardar dinheiro. Assim, com o objetivo de conquistar uma fase para apenas desfrutar da vida, comece a poupar cedo.

3. O que é preciso para economizar em cada fase da vida?

Diferentes momentos da vida podem requerer formas ou valores de poupança diferenciados. Desse modo, observe as faixas etárias mostradas a seguir e suas diferentes demandas para guardar dinheiro da maneira mais eficiente. Acompanhe.

3.1. Aos 20 anos

Nessa faixa etária, pode ser que o jovem adulto ainda resida com seus pais e, por essa razão, não tenha algumas despesas referentes à moradia e outras similares. Assim, o montante que seria gasto com aluguel, contas de luz e água, entre outros, pode se transformar em poupança.

Com isso, a capacidade para guardar dinheiro é bem maior nessa fase da vida. Na verdade, o jovem profissional em início de carreira deveria se esforçar para conseguir guardar 50% de seus rendimentos no seu planejamento financeiro.

Uma boa maneira de chegar a valores assim é se programar para todo mês guardar um pouco mais do que no mês anterior até alcançar aquela cifra de 50%. Nesse momento, você poderá manter o valor ou algo equivalente nos meses seguintes.

Esses cuidados são importantes porque em um futuro próximo às necessidades de despesas tendem a crescer. Nesse sentido, o hábito de poupar e a reserva construída com o passar dos anos permitirão chegar à maturidade sem muito esforço para poupar.

3.2. Aos 30 anos

Nessa faixa de idade, as coisas estão mais ou menos encaminhadas e a pessoa tende a adotar um padrão de vida um pouco melhor. Além disso, provavelmente já existe uma família que requer mais atenção e cuidados que muitas vezes se traduzem em mais despesas.

Por esse motivo, o percentual dedicado à poupança tende a ser menor que antes. Vale a pena considerar a possibilidade de manter 30% dos rendimentos pessoais como reserva mensal para poupar.

É preciso considerar que existem aspectos da saúde de toda a família, assim como a educação dos filhos, entre outras despesas que são essenciais. Portanto, manter o hábito de garantir o futuro deve ser parte do esforço começado quando ainda bem jovem.

3.3. Entre os 40 e os 50 anos

Quando alcançar essa faixa etária, é provável que sua vida financeira esteja se encaminhando para o sucesso na carreira e a estabilidade. Ao mesmo tempo, deverão surgir algumas demandas da saúde, sobretudo com visitas ao consultório médico com mais frequência.

Ao mesmo tempo em que pode haver maiores gastos com medicamentos ou tratamentos de saúde, é possível que algum filho ainda resida com você. Dessa forma, mantendo em torno de 20% de seus rendimentos aplicados você será capaz de recompor despesas maiores que tenham sido realizadas.

3.4. Depois dos 60 anos

Conduzindo a gestão dos seus recursos conforme apontado, você poderá atingir a casa dos 60 anos já considerando a chegada da aposentadoria. A tranquilidade merecida deve estar chegando para ser aproveitada de acordo com o seu perfil.

De todo modo, se você gosta de viagens ou outra atividade qualquer, poderá realizá-las sem passar por apertos. Sua condição financeira pedirá apenas os cuidados de manutenção.

4. Como fazer as melhores escolhas para poupar dinheiro?

Guardar o dinheiro para segurança futura requer que ele esteja protegido e garantido contra as possíveis perdas das variações econômicas. Na verdade, quando se fala em poupar, refere-se a investir os recursos disponíveis para que eles apresentem um rendimento.

Dessa forma, seu dinheiro guardado (aplicado, investido) terá um crescimento próprio, além dos simples novos depósitos que você realizar. Por isso, na hora de poupar, você deve considerar alguns cuidados como os mostrados a seguir.

Aprenda a investir

Como quitar dívidas e investir melhor o seu dinheiro deve ser uma tarefa conhecida, e que, se você não domina, pode facilmente aprender. Existem inúmeras fontes entre cursos para iniciantes e livros para o aprendizado financeiro.

Desse modo, estude, leia artigos, conheça os pilares da educação financeira e comece a se interessar pelo tema. Você não precisa se tornar um especialista na área, mas nada impede que você descubra onde aplicar o seu dinheiro e como mantê-lo.

Faça escolhas seguras

Considere que, quando for investir, você deverá contar com a orientação de uma assessoria experiente. Afinal, os seus recursos oriundos do esforço e do trabalho não estão à disposição para fazer experiência.

Tenha em mente, por exemplo, o investimento em previdência privada, de modo a garantir uma tranquilidade ainda maior quando se aposentar. Na verdade, na média, cada vez se dispõe de mais anos ativos, mesmo depois de aposentado, e que podem ser desfrutados sem estresse financeiro.

Tenha foco na formação de um patrimônio

A iniciativa de guardar dinheiro deve ter foco na formação de um patrimônio, que pode ser físico, adquirindo bens, ou financeiro, construindo uma boa garantia de recursos para quando precisar. No entanto, não esqueça de que surpresas podem acontecer e você também precisa de alguma liquidez.

Desse modo, não esqueça de poder contar com seu dinheiro se houver uma necessidade inesperada. Para isso, você deve ter algum investimento que possa ser resgatado rapidamente.

Lembre-se dos 3 momentos do ciclo da vida financeira

Como você viu, acumular, aumentar e preservar o seu dinheiro constituem os 3 momentos do ciclo da vida financeira. Assim, onde quer que você esteja, pense em fortalecer o seu capital, o seu patrimônio financeiro.

Conte com orientação segura

Você deve procurar conhecer mais sobre finanças pessoais e as melhores maneiras de construir sua tranquilidade. Contudo, na hora de aplicar e de garantir segurança para você, e sua família, nada supera a orientação de uma assessoria experiente e de confiança.

Considere que seu patrimônio deve estar seguro, mas também deve ser capaz de gerar segurança e permitir que os seus entes queridos estejam amparados. Esse é o principal objetivo do investimento em um seguro de vida.

5. Qual a importância de seguro de vida e saúde?

Um seguro de vida e um seguro de saúde constituem investimentos indispensáveis, pela própria pessoa e por aqueles a quem ela ama. Assim, independente da idade, existem razões suficientes para deixar de lado esse amparo financeiro e esse cuidado com a saúde.

Acompanhe a seguir a importância desse investimento nas diversas faixas etárias: juventude, maturidade e terceira idade.

Importância do seguro na juventude

A força e a garra, assim como o dinamismo da juventude, podem ser enfraquecidos a qualquer momento por uma doença. Ainda pior que isso, um acidente pode provocar danos irreversíveis ou mesmo uma partida inesperada.

No caso de necessidades para os cuidados com a saúde, o seguro saúde oferece a assistência necessária e o suporte que for mais adequado, conforme o que for contratado. Portanto, consultas, exames e tratamentos, entre outras prevenções, estão entre as principais coberturas oferecidas.

Por sua vez, o seguro de vida fornece proteção e amparo por meio de uma indenização, para o próprio segurado em situações, por exemplo, como a de uma invalidez por acidente. Da mesma forma, para seus beneficiários, que podem ser os pais, o cônjuge ou outros indicados na apólice.

Considere, ainda, que o seguro é um instrumento para o planejamento financeiro do jovem. Nesse sentido, quanto mais cedo for contratado, mais em conta será e mais preciso o planejamento da família que virá.

Importância do seguro na maturidade

Na maturidade, a família ganha importância nos cuidados e proteção, se somando aos que o jovem tinha consigo, de modo geral. Nessa fase, se dá o pico do desenvolvimento profissional e um incremento no padrão de vida social, escolar e outros da família.

Dessa forma, uma ausência repentina pode deixar a família sem condições de manter o nível de vida. O mesmo se dá com um acidente que deixe a pessoa sem condições de continuar mantendo o sustento de seus entes queridos.

Nessa fase, os cuidados com a saúde se ampliam com a gestação, os primeiros passos e a criação dos herdeiros. Assim, as necessidades da família constituem a maior preocupação.

Importância do seguro na terceira idade

Com o avançar da idade e da autonomia dos filhos, a certeza de poder cuidar da própria saúde que costuma requerer maior atenção nessa fase ganha importância. O seguro saúde, com toda certeza, será de grande valia.

Da mesma forma, a certeza de deixar todos bem, garantindo os trâmites e a cobertura de despesas de uma partida inesperada pode ser suprida pelo seguro de vida. Nesse sentido, o cônjuge, companhia de muitos anos, assim como os filhos, se indicados na apólice, terão o amparo necessário.

6. Por que são investimentos que trazem economia?

Seguro de vida e saúde são investimentos que trazem economia para as finanças da família. Primeiro, porque a sua relação custo-benefício é muito favorável.

Além disso, ao se fazer uma análise dos gastos supérfluos que são feitos todos os dias, percebe-se que boa parte deles poderia ser substituída pelo investimento em seguro. Ele, por sua vez, motiva a efetivação do investimento transformando desperdícios em ganhos para a família.

Finalmente, é preciso ter em mente que a estabilidade financeira que pode ser garantida por um seguro seria impossível de ser mantida na ocorrência de um acidente. Do mesmo modo, no caso de uma ausência, não haveria o suporte necessário sem a economia realizada para o investimento.

Como você pode ver, o ciclo da vida financeira tem momentos próprios com características diferentes e economias para cada fase da vida. As metas variam, assim como algumas motivações, mas o foco permanece na garantia do patrimônio que viabilizará as necessidades.

Se você gostou deste post, esperamos sua curtida em nossa página no Facebook.

Cadastre-se em nossa newsletter

    FECHAR