Fechar

Aviso
Devido ao feriado do securitário, não teremos expediente hoje.
Retornaremos nossas atividades dia 17/10.

Blog

Proteção para toda a família!

Home Blog 7 dicas de educação financeira para empreendedores

7 dicas de educação financeira para empreendedores

POSTS

A base do sucesso de todo negócio reside, sobretudo, em um resultado financeiro positivo na condução do empreendimento. Por essa razão, a educação financeira para empreendedores tem uma importância destacada na formação do empreendedor que coleciona conquistas.

Assim, para uma boa gestão dos negócios é preciso inteirar-se dos aspectos financeiros mais importantes e seguir se aprofundando no assunto. Trata-se de conhecer os caminhos e as ferramentas que facilitam alcançar os resultados esperados no empreendimento.

Continue a leitura e conheça 7 importantes dicas de educação financeira para empreendedores.

1. Faça um planejamento dos gastos

Um negócio, para funcionar a contento e com os resultados esperados, deve garantir certas premissas antes mesmo de iniciar sua atividade propriamente. Portanto, é indispensável conhecer com detalhes tudo que será necessário para o empreendimento caminhar bem e de modo seguro em direção às metas definidas.

Para isso, relacione tudo o que for necessário para o seu negócio, desde a demanda por capacitação até a infraestrutura operacional. Se houver matéria-prima ou equipamentos, tudo deve ser considerado. Em outras palavras, você precisa saber exatamente quanto precisará gastar para dar início.

Além disso, leve em conta que uma empresa necessita de capital de giro, aqueles recursos indispensáveis para seu funcionamento. É preciso definir o valor mínimo necessário que deverá estar disponível para o andamento dos negócios.

2. Mantenha uma separação explícita entre finanças pessoais e empresariais

Ainda na fase do planejamento, lembre-se de manter absolutamente separados os seus interesses pessoais daqueles dos negócios da empresa. Em especial, faça o exercício de considerar as finanças de seu negócio como se fosse um patrimônio de terceiros que você administra.

Nesse sentido, a conta corrente, o cartão de crédito e qualquer outra ferramenta financeira deve ser própria e exclusiva da empresa. Assim, não se deixe levar pelo mais fácil, uma vez que, necessariamente, logo ficará bem mais difícil.

Uma forma de dar solução profissional a esse assunto é a definição de um valor a título de pro labore para constituir as retiradas mensais para fins pessoais. Desse modo, o valor definido é o pagamento do profissional que você será para sua empresa.

3. Invista em sua capacitação financeira

Além das dicas de educação financeira, considere seu aprimoramento, sua capacitação, de modo a avançar no entendimento e realizar uma melhor gestão de seus negócios. Para esse fim, faça cursos em áreas específicas, leia bons livros básicos sobre o tema, enfim, procure inteirar-se das finanças de suas atividades.

Na verdade, a educação financeira deve ser um processo permanente e você pode se especializar em sua área. Sempre surgem novidades, e o empreendedor deve estar atento às inovações que aparecem e que podem lhe trazer benefícios ou facilidades empresariais.

Nesse processo, não se trata apenas de estudar, mas de conhecer as alternativas que o mercado oferece para poupar e investir. Assim, essas são duas iniciativas que constam dessas dicas de educação financeira e serão abordadas a seguir.

4. Organize-se para poupar

Poupar não é investir, mas uma forma de guardar para poder realizar investimentos. No entanto, é preciso organizar-se para conseguir implantar uma rotina de guardar um percentual dos lucros obtidos a cada mês.

Uma dica que será comentada mais adiante neste post diz respeito ao controle do fluxo de caixa. É imprescindível saber quanto entra e quanto sai do caixa. Conhecer o que se tem e como flui é o primeiro passo para organizar-se e conseguir poupar.

Dessa forma, poupar deve ser visto como parte da estratégia que viabiliza o crescimento dos negócios. Assim, a partir dos valores guardados, pode-se obter um montante para aplicação, assim como construir um fundo de emergência, que é a próxima dica.

5. Construa um fundo de emergência

Imprevistos financeiros costumam ocorrer e quase constituem uma regra: a possibilidade de haver necessidade de um montante maior de forma repentina. Por essa razão, todo empreendedor deve construir um fundo para emergência.

Imagine que, em determinada circunstância, as contas estão vencendo e não há recursos disponíveis. Em vez de buscar financiamento, sua reserva pode suprir essa demanda extraordinária. Considere que uma reserva financeira ideal é correspondente a cerca de 8 a 12 meses de despesas garantidas.

É importante considerar a necessidade de uma permanente reconstituição do fundo tão rapidamente quanto possível. Para esse fim, um aporte maior que o costumeiro em um momento de folga financeira poderá regularizar a reserva.

6. Mantenha um controle sobre o fluxo de caixa

A movimentação financeira de seu negócio — isto é, as entradas e saídas de dinheiro — constitui o fluxo de caixa. Esse é um aspecto do empreendedorismo que deve ser observado com toda atenção.

Costuma-se fazer referência à necessidade de controlar o fluxo de caixa. É exatamente o que deve ser feito: controle efetivo para que as coisas sigam na direção que devem caminhar e você chegue aonde pretende chegar.

Com o controle das entradas e saídas de dinheiro, você pode saber se as contas estão se equilibrando ou se será necessário alterar o preço de algum produto ou serviço, por exemplo. Da mesma forma, pode-se perceber a necessidade de gastar menos com determinada demanda, entre outras.

7. Evite financiamentos

Financiamentos constituem custos extras sobre o orçamento e quase sempre são elevados. Muitas vezes é a solução mais fácil e mais rápida, mas geralmente não é a melhor, com as devidas exceções.

No entanto, na condução de seu negócio, principalmente nos primeiros momentos, todo o planejamento deve ser realizado e conduzido o mais próximo possível do que foi projetado, a fim de se evitar situações que requeiram aporte extraordinário.

É claro que existem situações que não poderão ser desconsideradas e, muitas vezes, o financiamento deverá ser o caminho a seguir. O cuidado que se aponta aqui é no sentido de não tomar essa rota como rotina, mas como uma grande exceção.

Todas essas dicas não dispensam a importância do permanente investimento em educação financeira para empreendedores, que instrui ao mesmo tempo em que mantém as informações e novidades em dia.

Saiba mais sobre planejamento financeiro e segurança para você e sua empresa. Entre em contato conosco e descubra como a Classic Seguros pode auxiliá-lo com as finanças do seu empreendimento.

Cadastre-se em nossa newsletter

    FECHAR