FGTS Inativo: 3 dicas para investir e fazer esse valor render

DESTAQUES Finanças Pessoais

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um direito de todas as pessoas que trabalham, ou trabalharam, registradas em regime CLT. O governo atual anunciou duas novas medidas para o saque desse benefício.

Essa decisão do governo deixou os brasileiros alvoroçados. Muitas pessoas não sabem ao certo o que fazer com esse dinheiro extra. Se você é um dos brasileiros que estão confusos sobre a questão do saque do FGTS inativo, continue com a leitura deste texto.

A seguir, nós daremos algumas dicas que ajudarão você a usar o dinheiro do benefício da forma correta. Confira!

1. Utilize o FGTS para quitar as suas dívidas

Ao saber sobre a liberação do saque do FGTS, muitas pessoas pensaram em usar o dinheiro para lazer. Viajar é revigorante, comprar roupas novas é sempre bom, no entanto, o ideal é que você use o dinheiro do benefício para fins mais importantes, como pagar as suas dívidas.

Eliminar as dívidas é o fundamento base para o bem-estar econômico. Quem recebeu o FGTS e tem pendências financeiras, não deve fazer outra coisa que não seja pagar as contas.

No entanto, há casos em que as pessoas têm mais de uma dívida a pagar e o dinheiro do benefício não é o suficiente para quitar todas elas. Nessa situação, o que deve ser feito?

A resposta é muito simples: faça uma lista com todas as suas pendências e coloque-as em ordem de menor para a maior. Identifique quais são as contas com os juros mais altos e disponha-se a pagá-las primeiro. Os juros são como uma bola de neve que cresce um pouquinho a cada mês, é por isso que as dívidas com altos juros merecem uma atenção maior.

2. Crie um fundo de emergência

Essa dica é válida somente para quem não tem ou já quitou todas as suas dívidas. Afinal, não faz sentido guardar dinheiro para uma emergência, se você está vivendo em meio a uma delas.

A maioria das pessoas se endividam porque não fizeram um fundo de garantia para salvá-las em um momento de crise. A verdade é que o futuro econômico é muito instável, por isso, a melhor opção é se prevenir e criar uma reserva.

Quanto mais você conseguir economizar, melhor. Uma reserva de emergência ideal é aquela que cobre de três a seis meses de todos os seus gastos fixos mensais. Você pode começar o seu fundo com os R$500,00 de FGTS. Como as novas medidas anunciadas pelo governo preveem os saques anuais a partir de 2020, você poderá utilizar essas novas retiradas para engordar a sua poupança.

3. Faça investimentos usando o FGTS

Após fazer uma reserva de emergência bem volumosa, você pode começar a pensar em usar o dinheiro do seu FGTS para fazer investimentos. Algumas pessoas optam por não sacar o dinheiro do FGTS, mas essa não é uma escolha sábia.

O FGTS inativo, por não receber novos depósitos mensais, tem um rendimento de apenas 3% ao ano. Existem outras formas de fazer o seu dinheiro render. Confira, a seguir, algumas maneiras de usar o dinheiro do FGTS inativo para fazer investimentos.

Tesouro Direto (curto prazo)

O tipo de investimento mais recomendado para pessoas que buscam um rendimento alto em curto prazo e que pode ser sacado facilmente (alta fluidez) é o Tesouro Selic. Ele rende de acordo com a taxa básica de juros.

Se você é do tipo de pessoa que ainda não se sente segura o bastante para investir seu dinheiro, o Tesouro Selic é a opção perfeita. O Selic é um investimento muito seguro, pois é emitido pelo Tesouro Nacional.

CDB (curto prazo)

O Certificado de Depósito Bancário é outro tipo de investimento que pode ser feito em curto prazo. Assim como o Selic, o CDB também tem liquidez diária, o que significa que você pode retirar dinheiro quando quiser.

O CDB é, na verdade, uma organização formada pela junção de vários bancos, que garante o retorno do investimento caso uma das instituições quebre. Entretanto, o valor máximo de retorno, nesse caso, é de R$250.000,00.

Previdência Privada

O plano de previdência privada é um produto financeiro destinado a poupar dinheiro no longo prazo, com o intuito de complementar a Previdência Social. Ou seja, esse tipo de aplicação serve para você acumular recursos que servirão como uma renda extra durante a sua aposentadoria. Desse modo, você poderá manter o seu padrão de vida atual, coisa que, será um tanto mais difícil se sua única fonte de renda for o benefício do INSS.

Fundos de investimento (curto, médio e longo prazo)

Se você busca maior rentabilidade, não tem medo de arriscar perder dinheiro e não quer abrir mão da alta liquidez, a melhor opção para o seu caso são os fundos de investimento. Para essa categoria, existem dois tipos de aplicação.

O primeiro é o fundo de renda fixa, que rende acima das taxas do CDI. Também existe o fundo multimercado, que rende bem mais que os investimentos feitos em renda fixa, entretanto, apresenta maior risco.

Vale ressaltar que quando nós falamos em risco, trata-se da oscilação do rendimento do investimento e não da perda total do capital investido.

Tesouro IPCA+ (longo prazo)

Para quem não tem pressa, recomendamos o investimento em longo prazo que acompanha a taxa de inflação, o IPCA. O título mais procurado para esse tipo de investimento é o Tesouro IPCA+. Como é um investimento longo prazo, a data mais próxima para retirar o seu rendimento é em 2024 e a mais distante em 2045.

É claro que você pode fazer mais de um tipo de investimento, simultaneamente. As pessoas que estão de olho na economia costumam fazer pequenos investimentos de curto prazo e investimentos maiores de longo prazo. Essa também é uma forma de garantir que você não vai passar por momentos difíceis financeiramente.

Saber lidar com dinheiro é fundamental para se ter uma vida boa e tranquila. Ao contrário do que muitos pensam, ter estabilidade econômica não é impossível. Se você seguir todas as dicas que demos neste texto sobre como usar o FGTS inativo, muito em breve você não precisará mais se preocupar com problemas financeiros.

Gostou das nossas sugestões? Quer saber mais sobre economia? Então, assine a nossa newsletter para receber outros artigos sobre como ter um futuro seguro e sem pendências.