Mobilidade urbana: como prevenir acidentes

Casa & Família DESTAQUES POSTS

Acidentes de trânsito tiram a vida de muitas pessoas no Brasil e no mundo. Segundo uma pesquisa feita pela Organização Mundial da Saúde, em 2018, 73% dessas pessoas são homens com menos de 25 anos. Por aqui, dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) mostram que mais de 35 mil pessoas faleceram no trânsito em 2017.

Desse total, 82% eram do sexo masculino, sendo que quase 40% tinham idade entre 20 e 39 anos. Esses números evidenciam que a prevenção de acidentes é um assunto muito sério, necessitando ser tratado com atenção.

Isso porque o estudo Global Status Report on Road Safety feito pela OMS, evidencia o Brasil como o terceiro colocado no ranking de mortes por conta da mobilidade urbana. Apenas Índia e China estão na frente.

Neste post, vamos explicar por que é fundamental o investimento em segurança nos meios de transporte, além de dar dicas de como prevenir acidentes nos principais modais. Confira!

A importância de investir em segurança nos meios de transportes

Como vimos, quando um acidente acontece, ele pode ocasionar consequências graves ou, até mesmo, levar à morte. As estatísticas abordadas aqui causam preocupação, pois as vítimas são pessoas em idade produtiva. Ou seja, milhares de cidadãos morrem todos os anos, causando um grande impacto social, econômico e familiar.

O setor de saúde também sofre com a questão, pois os acidentes sobrecarregam o atendimento de urgência e emergência do Sistema Único de Saúde (SUS). A quantidade de internações cresce a cada ano. Só em 2017, foram quase 183 mil pacientes, sendo praticamente 8 em cada 10 vítimas do sexo masculino. Isso representou um gasto de mais de R$260 milhões.

Quem mais perdeu a vida no trânsito no ano citado foram motociclistas. Depois, vieram os passageiros e motoristas de automóveis e caminhonetes, seguidos de pedestres e ciclistas. Entre as pessoas do sexo feminino, as pouco mais de 6 mil mortes correspondem a 18% dos casos, em 2017. A maioria (35,7%) também estavam entre a População em Idade Ativa (PIA), isto é, tinham de 20 a 39 anos.

A saúde pública não é impactada somente pelas mortes. Também é preciso dar atenção aos tratamentos de sequelas emocionais e físicas das vítimas da mobilidade urbana. De acordo com uma análise feita com base em 1,7 milhão de internações por Acidentes de Trânsito Terrestres, no intervalo entre 2000 a 2013, ficou comprovado que 23,5% dos pacientes apresentavam sinais de sequelas físicas. O traumatismo craniano e as amputações são as principais consequências dos ATTs.

Dicas de segurança para os principais meios de transporte utilizados

Veja as dicas de segurança que separamos para você saber como prevenir acidentes relacionados à mobilidade urbana.

Carro

Procure não fazer o controle do automóvel na subida por meio da embreagem. Isso pode fazer com que as peças do motor não funcionem como devem. Além de desgastar o sistema, a prática aumenta a chance de um desempenho ruim e, por consequência, o risco de acidentes.

Celular e direção, definitivamente, não combinam. Quem presta atenção em um dispositivo móvel não é capaz se manter atento à direção. Tanto que condutores que usam o celular ao volante aumentam os incidentes de carro em até 400%. No caso de uma emergência, o melhor a ser feito é atender pelo viva-voz.

Mantenha uma distância do veículo da frente de, pelo menos, dois segundos. Ou seja, marque um ponto fixo e analise se em dois segundos ou mais você passa por ele. Assim, você terá mais tempo para escapar de algo que não pode prever.

E não esqueça da cadeirinha para as crianças até 4 anos e do assento de elevação para os pequenos de 4 a 7 anos e meio. A idade permitida para transporte de menores no banco da frente é apenas a partir de 10 anos.

Moto

A primeira regra é jamais andar sem capacete. Mesmo porque, isso é contra a lei. Esse item de segurança precisa ser do tamanho certo e ter faixas reflexivas. Nas mãos, use luvas com aderência. Nos pés, utilize calçados que protejam seus tornozelos. A última dica do que vestir quando andar de moto é a calça jeans ou de cordura e a jaqueta. Com isso, você estará mais seguro.

Transitar em velocidade excessiva é perigoso em qualquer meio de transporte. Para motoqueiros e garupas de grandes centros urbanos, o risco é grande. Portanto, obedeça a velocidade regulamentada nas ruas. Preste atenção aos pedestres antes de partir ao esperar o sinal vermelho ficar verde, evitando a ocorrência de atropelamentos.

Tenha cuidado com cerol e linha chilena e instale o “corta pipa”, que é uma espécie de antena que antecipa a presença desse perigo.

Ônibus

Não fique nos degraus e não se debruce nas portas. Quando estiver em pé, apoie em algum lugar, seja no banco, seja nas barras de segurança. Durante o embarque e desembarque, esteja certo de que o ônibus está parado.

Nada de colocar seus braços ou cabeça para o lado de fora da janela. Pendurar-se na porta de um ônibus lotado, nem pensar. No ponto, para esperar seu ônibus de maneira segura, não fique próximo ao meio fio. Dentro do veículo, mantenha distância das portas e não tire a atenção do motorista em hipótese alguma.

Patinete

Não subestime o patinete. Ele parece um brinquedo, mas trata-se de um meio de transporte que tem causado diversos acidentes. O item de segurança número um é o capacete, seguido pelo uso de joelheiras e cotoveleiras. Procure utilizar as ciclofaixas, pois essa é a via mais livre de perigos.

Procure ter bom senso para controlar a sua velocidade, conforme o lugar pelo qual você estiver passando. No caso de chão molhado, tenha atenção às ladeiras. Os patinetes precisam seguir a direção da rua.

Bicicleta

Esse é mais um modal que, como a moto e o patinete, requer a utilização de equipamentos de segurança adequados. O Código Brasileiro de Trânsito (CBT) estipula a legislação para as bicicletas. É preciso seguir a sinalização e direção das vias. Ressaltamos que o ciclista tem preferência sobre carros e os pedestres sobre quem dirige uma bicicleta.

Itens como capacete, joelheiras e cotoveleiras são essenciais. Para andar à noite, tenha uma luz especial que pisca instalada e use casacos com tiras refletoras. E isso também vale para as bicicletas motorizadas, que estão cada vez mais em uso.

Agora que você já sabe que a prevenção de acidentes é um assunto muito sério, vamos dar uma última dica para que proteja a si mesmo e a toda sua família. É muito importante contar com um seguro de vida e de acidentes pessoais. Sabemos que ninguém quer pensar que o pior pode acontecer, mas a realidade é que não estamos imunes aos imprevistos.

Essas apólices são imprescindíveis para embasar seu planejamento financeiro, pois têm cobertura para casos de incapacidade laborativa e indenização aos familiares quando o titular perde a vida.

Coloque as nossas dicas de prevenção de acidentes em prática. Além disso, acesse outros posts do nosso blog e saiba mais sobre contratos de seguro de vida.