Planejamento financeiro para casamento: qual a importância e 5 passos para montar o seu

Casa & Família DESTAQUES POSTS

Casar com a pessoa amada é o sonho da maioria das pessoas. No entanto, nem todos os casais se preparam financeiramente para enfrentar uma vida a dois — o que é um grande erro. Fazer um planejamento financeiro para casamento é um passo importante não só para a organização da cerimônia,  mas também para criar um futuro estável para os recém-casados.

A verdade nua e crua é que o dinheiro pode influenciar tanto para o bem quanto para o mal a vida a dois. Casais sem estabilidade financeira tendem a discutir mais e é por isso que se endividar logo no início do casamento não é uma boa ideia.

Neste texto, nós ensinaremos o passo a passo para você fazer um planejamento financeiro para casamento. Ficou interessado? Então, não perca esta leitura!

1. Planejamento financeiro para casamento: comecem a juntar dinheiro

Infelizmente, não é possível fazer uma festa de casamento ou mobiliar uma casa sem dinheiro. Por isso, o primeiro passo não poderia ser outro, senão economizar.

Vale lembrar que, como se trata de um casal, ambas as partes precisam se comprometer com a tarefa de conter gastos. De nada adianta uma pessoa poupar, se a outra está apenas criando dívidas.

Dessa forma, o casal não sairá do lugar, por isso é preciso haver união. Além do mais, duas pessoas conseguem juntar uma maior quantia de dinheiro em um menor período de tempo.

Em um planejamento financeiro, o ideal é que as pessoas envolvidas reservem e guardem cerca de 20% dos seus salários. Como uma cerimônia de casamento é um evento caro, o ideal é que o casal tente guardar um pouco mais do que essa porcentagem.

Guardar tanto dinheiro assim é importante porque você pode ganhar um desconto ao pagar as despesas à vista. Além disso, ao evitar passar os gastos no cartão de crédito, você estará fugindo do endividamento.

2. Estabeleçam as suas prioridades

Pode ser que, mesmo após passar meses juntando dinheiro, conforme nós recomendamos no tópico anterior, o seu orçamento ainda não seja suficiente para cobrir todos os gastos de uma casa nova, mais uma cerimônia de casamento. Nesse caso, é necessário estabelecer quais são as prioridades do casal.

Comecem fazendo alguns questionamentos. Vocês querem montar uma casa completa antes de casar? Não é possível fazer a festa de casamento mais simples? A viagem da lua de mel é mesmo necessária? Talvez seja preciso abrir mão de um desses itens para que os outros saiam como planejado.

Se uma bela festa de casamento é o sonho do par, então vocês podem procurar uma casa mais em conta ou economizar na compra dos móveis. O contrário também é válido. Seja como for, definir as prioridades é essencial para nortear as decisões.

3. Paguem as suas dívidas

Antes de começar se organizar para o casamento, é necessário quitar as dívidas que o casal já tinha, até então. Provavelmente, vocês farão contas parceladas, seja para preparar a cerimônia, seja para organizar a casa. Então, antes de criar novas contas, é preciso quitar as que já existem. O problema é que liquidar todas as dívidas não é tão fácil assim.

Caso haja muitas contas a serem quitadas, o ideal é começar a pagar as menores primeiro ou, então, as contas com juros crescentes, como o cartão do banco. Vocês também podem tentar negociar o valor da dívida e a porcentagem de juros com o credor para que os parcelamentos fiquem mais acessíveis.

4. Façam planos realistas

O primeiro passo para uma vida a dois é ser totalmente franco um com o outro e enfrentar a realidade. É claro que todo mundo deseja fazer uma festa de casamento digna de um filme de romance e viajar para Paris na lua de mel. Entretanto, essa é uma fantasia que não condiz com a realidade de muitas pessoas.

Para dar início ao planejamento financeiro para casamento, em primeiro lugar, vocês precisam sentar, conversar e encarar a sua realidade financeira. Por mais que seja o sonho do casal, vocês não podem planejar uma festa ou comprar uma casa que vai muito além do que vocês podem pagar.

É importante ouvir as duas partes: talvez, para um, mobiliar a casa seja mais importante, mas, para o outro, abrir mão da festa não é uma opção. Nesse caso, o casal precisa entrar em um consenso para que ninguém saia desapontado ou frustrado.

5. Mantenham o controle das finanças

Lembrem-se de que além dos gastos com o casamento, vocês também terão que lidar com contas que fazem parte do dia a dia, como transporte, alimentação, telefone e assim por diante.

Como você viu no primeiro tópico, guardar dinheiro é muito importante, mas vocês não podem usar os recursos das contas mensais para fazer uma reserva para o casamento. A meta é conseguir poupar sem fazer dívidas.

Muitas pessoas acham que essa é uma tarefa impossível, mas não é. Vocês não precisam passar por necessidades para conseguir pagar as contas e ainda juntar dinheiro. No entanto, é necessário abrir mão de algumas regalias, como viagens, jantares em restaurantes e passeios que envolvam gastar mais.

Tenham em mente que imprevistos financeiros podem acontecer. Portanto, não fiquem frustrados, caso vocês não possam guardar dinheiro em algum momento. Uma situação assim é totalmente normal e aceitável.

Por último, nós não podemos deixar de dizer que esse é o momento ideal para se fazer um investimento em longo prazo — principalmente se vocês pretendem ter filhos. Esse tipo de investimento garantirá a segurança financeira da sua família no futuro.

Caso o seu orçamento esteja muito apertado, você pode começar a investir algum tempo após o casamento, quando a sua vida financeira estiver mais tranquila.

Essas foram as nossas dicas para você fazer um planejamento financeiro para casamento. Temos certeza de que, ao seguir tudo o que foi dito neste texto, você conseguirá realizar seu sonho junto do amor da sua vida, sem se endividar. Economizar pode parecer difícil, mas ao final, você vai perceber que todo o seu esforço valeu a pena.

Gostou do texto? Está interessado em ler mais dicas sobre economia? Então, confira este outro artigo, em que nós mostramos como fazer uma reserva financeira em 6 passos.