Planejamento financeiro para jovens: Veja 6 dicas aqui!

POSTS

Uma importante fase da formação do jovem é o aprendizado financeiro, isto é, o conhecimento de como lidar com o dinheiro que recebe, seja de ajuda, seja de trabalho. Assim, o planejamento financeiro para jovens constitui uma excelente ferramenta para consolidar esse aprendizado.

Manter o equilíbrio dos recursos de que dispõe, constituir uma pequena reserva financeira e posteriormente começar a investir é um caminho a ser percorrido. Na verdade, necessariamente por todo jovem responsável e, sobretudo, que pretenda conquistar sua liberdade financeira.

Continue a leitura e conheça 6 dicas para um bom planejamento financeiro para jovens.

1. Saiba a importância de controlar os gastos

O primeiro fator preponderante a exigir um planejamento financeiro é constituído pelos gastos que são feitos. Nesse momento, não importa se são gastos necessários ou dispensáveis. Trata-se, inicialmente, de reconhecer que é principalmente em razão dos gastos efetuados que todo mundo necessita fazer uma gestão financeira em seus recursos.

Portanto, uma das dicas mais importantes dentre as que podem ser dadas a um jovem para fins de planejamento financeiro tem destaque especial: “Tente de todas as formas controlar seus gastos”. Considere que toda a situação financeira se baseia no equilíbrio entre as receitas (todo dinheiro que entra) e as despesas (todo dinheiro que sai).

Assim, como é bem mais fácil reduzir o que se gasta do que aumentar o que se recebe, comece descobrindo quanto você gasta e para onde vão esses recursos. Identifique esses dados detalhadamente para poder controlar.

2. Analise sua situação financeira atual

Avalie tudo o que você tem como despesa fixa hoje (alimentação, mensalidade escolar, celular), acrescente as dívidas que precisa saldar e tudo o mais que consuma seu dinheiro (qualquer coisa). Não se esqueça do sanduíche na lanchonete, mesmo que esporádico.

De outro lado, some tudo que você recebe como receita: salário, ajuda financeira formal ou informal, bolsa, entre outras. Subtraia desse total as despesas calculadas anteriormente. O resultado é a sua situação financeira atual.

Se o resultado dessa conta foi positivo, significa que você gasta menos do que o montante que recebe. Nesse caso, deve analisar como aprimorar os gastos para que tenha uma diferença ainda maior e consiga construir uma reserva financeira.

Se, no entanto, o resultado foi negativo, então você está gastando mais do que ganha e isso definitivamente não é bom. Nesse caso, você precisa deve urgentemente relacionar os seus gastos e identificar aqueles que podem ser suprimidos (cortados).

3. Estabeleça metas alcançáveis

Quando se fala em controlar os gastos, primeiramente identificando aqueles que podem deixar de ser realizados, é preciso estabelecer metas, pois nem sempre se pode parar tudo de um dia para outro. Desse modo, defina metas que dependam da redução de gastos, mas que sejam alcançáveis, isto é, possam ser realizadas por você.

Da mesma forma, trace metas posteriores com vistas a iniciar a prática de poupar, de guardar regularmente uma quantia, de modo a construir uma reserva financeira. Mais tarde, você terá outras metas ainda, para investir também de modo regular.

Tudo isso pode e deve ser planejado com metas que sejam possíveis de alcançar. Desde o início, você deverá levar em conta a necessidade de mudar os seus hábitos de consumo a fim de realizar suas metas com sucesso. Isso mesmo: é hora de mudar.

4. Reveja seus hábitos de consumo

Como visto, para tomar medidas de corte de gastos e de disciplina ao consumir, é necessário fazer uma boa revisão nos hábitos de consumo pelos quais se tem pautado nos últimos anos. Não se trata, necessariamente, de reduzir a qualidade de vida, mas de se organizar e passar a fazer uma gestão financeira dos recursos de que dispõe.

Para esse fim, o ideal é começar com os hábitos menores, menos custosos de serem interrompidos ou eliminados de vez. Leve em conta a forma de transporte que utiliza hoje, a forma de se alimentar, os hobbies, passeios e tudo que representar gasto habitual, mesmo que não seja todos os dias.

Considere que, quando as coisas estiverem sob controle, com folgas e uma reserva sendo construída, você poderá rever mais uma vez os seus hábitos. Nesse caso, não há impedimento de se retomar alguns abandonados ou começar outros, desde que de modo controlado e sem perder o equilíbrio financeiro.

5. Invista em crescimento pessoal

Em grande parte das vezes, o jovem conta com auxílio de sua família para conseguir se manter enquanto estuda ou faz um aprimoramento da carreira. Não há nada de errado nisso, mas é preciso considerar o esforço que deve ser feito para que essa fase seja superada.

Isso significa que a segurança financeira precisa ser acompanhada de um crescimento profissional. Em outras palavras, ainda que você continue recebendo ajuda, estará cada vez mais próximo o dia em que ela não será mais necessária.

Por sua vez, esse crescimento pessoal não depende de se estar recebendo ou não ajuda de terceiros (família, bolsa). O imprescindível é que exista esse esforço de aprimoramento que permitirá conquistar a liberdade financeira mais tarde. Não é isso que se quer?

6. Aprenda a poupar e a investir

Uma vez que se garanta o equilíbrio financeiro, onde não há gastos além do que se recebe, é chegada a hora de começar a guardar dinheiro (poupar). Trata-se de guardar regularmente uma quantia para criar uma reserva financeira, um recurso que poderá ser utilizado, por exemplo, para garantir o futuro dos filhos que vierem.

Do mesmo modo, pode-se pensar em um fundo de emergência para atender a qualquer necessidade maior que surgir de modo inesperado. Além disso, o planejamento financeiro estará definitivamente consolidado quando você tiver equilibrado as contas e construído uma reserva financeira, passar a investir parte de seu dinheiro.

Nesse momento, pode-se dizer que sua educação financeira está consolidada e que seu planejamento financeiro foi cumprido com sucesso. Afinal, essa era a grande meta.

Como se viu, essas dicas estão apresentadas de modo crescente acompanhando a evolução de cada passo do que seria um bom planejamento financeiro para jovens.

Gostou deste post? Baixe agora mesmo a nossa planilha de planejamento financeiro!