Trintei, e agora? Recomeços para a vida profissional

Carreira DESTAQUES POSTS

É muito comum imaginar, quando somos jovens e estamos no início de nossas carreiras, que conquistaremos grandes cargos e chegaremos ao auge de nossas carreiras por volta dos 30 anos de idade. Porém, a realidade é bem diferente. Muitas vezes percorremos vários caminhos até chegar naquele que parece ser o certo para nós.

No relato de hoje, a colaboradora Talita fala sobre suas expectativas e como foi seu processo de recolocação profissional. Confira!

talita lima carreira

Entre tantas coisas que a vida nos oferece, está a oportunidade de repaginar! Nós mulheres tememos a chegada dos trinta anos como se ele determinasse a nossa eternidade. Como se tudo que pudesse ser feito na vida se limitasse a essa idade.

Casei? Tenho filhos? Consegui perder aqueles quilinhos extras? E minha carreira profissional, já alavancou? Inúmeras perguntas que, dependendo da perspectiva que se olha, podem ora te paralisar ora te impulsionar.

Na minha vida não é muito diferente. Questionamentos vêm e vão, e até o começo de 2017, eu vivia como se estivesse com meu futuro determinado. Ao longo dos últimos quatro anos de minha vida me dediquei a outros projetos. Por isso não estive de forma efetiva no mercado de trabalho durante esse período.

Sou da área de Comunicação & Marketing e com o avanço da tecnologia e as mudanças que surgiram neste segmento, já não sabia mais como me reinserir nesse ambiente totalmente competitivo (e bem diferente de quando eu formei na faculdade). Compreendi que precisava traçar um plano e ser bem disciplinada para ter êxito nos meus objetivos. Vou compartilhar os passos que fizeram diferença neste processo.

Realize pesquisas sobre as tendências no seu mercado

Entender o que está em alta na sua área de atuação é o primeiro passo para planejar como será o início da sua nova jornada profissional. No meu caso, busquei ficar antenada bem informada sobre as tendências e inovações dentro da área de Marketing. Após um longo tempo de pesquisa, fui atraída pelo Marketing Digital e decidi que era o nicho em que eu ia me aprofundar.

Ser um pesquisador ávido te permitirá antever as mudanças que ocorrerão num futuro próximo. Tomar por base as ações e eventos (palestras, simpósios, workshops, entre outros) que acontecem no presente é primordial não apenas para quem busca novas oportunidades, mas também para quem deseja crescer na sua carreira.

Busque capacitação de referência

Mas o que fazer diante de tantas informações? Quem realmente entendia do assunto? Quem poderia me ensinar um caminho para que eu pudesse recomeçar? Diante de tantos questionamentos busquei por capacitação que não apenas me ensinasse na teoria, mas me fornecesse experiência prática. Desse modo eu poderia disputar com meus concorrentes de igual para igual quando chegasse o momento.

Foi então que conheci o Programa de Nanodegree de Marketing Digital ministrado por uma organização educacional do Vale do Silício. O programa, com foco em tecnologia e parceria com gigantes da indústria como Google, AT&T, Facebook, Salesforce e Cloudera, ofereceu uma compreensão de 360° da área, o que fez toda a diferença.

Construa seu diferencial

Apesar da qualidade do curso, entendi que precisava de mais para que pudesse me diferenciar no mercado. Então fiz uma lista de certificações exigidas e com um cronograma de estudos iniciei a saga.

Em menos de um mês, consegui três certificações importantes: Inbound Certified (HubSpot), Especialista em Marketing de Conteúdo Avançado e Especialista em Produção de Conteúdo (Rock Content). Todas gratuitas que só exigiram um pouco de empenho e dedicação para assistir às aulas.

Chegou o momento: hora de partir para o ataque!

Depois das capacitações técnicas, chegou a hora de encarar o maior desafio: a tão temida entrevista de emprego. Essa é a parte que o psicológico fala mais alto, afinal a insegurança sempre quer tomar conta, ainda mais pelo fato do tempo que estive afastada do mercado. Resolvi que ia começar a encarar as entrevistas de forma despretensiosa, mas nunca sem propósito.

De algum modo eu tinha que fixar minhas atribuições na mente do recrutador, e assim o fiz. Criei um portfólio com minhas ideias e trabalhos, e apesar de não ser o foco principal do cargo que eu estava concorrendo. Sempre mostrei que eu tinha muito a agregar sendo uma profissional multitarefas. E foi assim, que antes do prazo que estipulei para mim, fui contratada na área que eu desejava.

Então, se assim como eu você também não sabe por onde iniciar a sua jornada, comece com uma boa dose de otimismo e ânimo para enfrentar os obstáculos que você chegará longe. Conta pra mim, quais são os desafios profissionais que você superou ao “trintar”?