Saiba mais informações sobre a Morte Natural

Casa & Família DESTAQUES Seguro de Vida

As seguradoras diferenciam entre morte natural e morte acidental na concepção das respectivas apólices. São conceitos importantes porque encaminham para situações diferentes na ocorrência do falecimento do segurado.

Nesse sentido, existem ainda outros aspectos envolvidos, como é o caso das doenças graves. Entre elas estão o câncer, cuja incidência vem crescendo de modo acelerado em todo o mundo.

Continue a leitura e saiba mais sobre a morte natural e como orientar sua opção de seguro de vida.

Conceito de morte natural

A morte natural é aquela que resulta de um processo esperado e previsível, ainda que não seja desejado. O exemplo mais comum de sua origem é o transcorrer do envelhecimento natural a caminho do descanso final.

Existem, ainda, situações com natureza patológica, ou seja, resultante de alguma doença ou em razão do mau funcionamento interno do corpo e que pode levar à morte. Nessas duas situações, também se considera o falecimento como sendo natural.

Por sua vez, a morte acidental envolve eventos não esperados, isto é, aqueles que ocorrem de modo totalmente atípico. Um exemplo clássico é a fatalidade que resulta de um acidente automobilístico, como uma batida de carros, o atropelamento de um ciclista ou um incêndio, por exemplo.

Para fins de cobertura do seguro, existe grande importância nessa diferenciação entre morte natural e acidental. Todo seguro de vida deve se referir necessariamente a uma ou a outra, em certos casos, às duas.

No entanto, se um seguro de vida tem cobertura apenas para morte acidental, a ocorrência de um óbito provocado por uma doença (morte natural) não será válida. Por essa razão, o entendimento desses conceitos é indispensável na contratação do seguro e na certeza para o segurado do que pode ser coberto.

O seguro de vida para doenças graves

Entre todas as coberturas possíveis para o seguro de vida, a mais básica é a que se refere à morte natural. No entanto, existem muitas possibilidades adicionais, com destaque para a cobertura das chamadas doenças graves.

Além disso, é importante saber que o seguro para proteção em caso de doenças graves não tem um público-alvo específico ao qual esteja limitado. Na verdade, pode ser contratado para qualquer pessoa com idade entre 18 e 65 anos e, até mesmo, como um importante componente do planejamento da família.

De modo geral, as seguradoras consideram como doenças graves, entre outras:

  • câncer;
  • leucemia;
  • acidente vascular cerebral (AVC) agudo;
  • infarto agudo do miocárdio;
  • cirurgia de revascularização do miocárdio;
  • mal de Alzheimer.

Período de carência para doenças graves

A carência é o período entre o início da vigência do seguro contratado e a data na qual as suas coberturas podem ser acionadas. Nesse período, a seguradora estará isenta do pagamento de indenizações se ocorrer alguns dos casos previstos no contrato.

Por sua vez, normalmente, existe um período de 30 dias após o diagnóstico, durante o qual o segurado deve estar vivo. A cobertura para as doenças graves apresenta carência para sua efetivação.

Outro aspecto interessante da cobertura para doenças dessa natureza é que a percepção do benefício não encerra o seguro de vida. Isso significa que o diagnóstico permite o recebimento da indenização e, posteriormente, o falecimento também.

Em razão da complexidade dessas doenças, existem situações em que não há cobertura do seguro. Como cada caso deve ser verificado no momento da contratação, é importante contar com a assistência de uma boa corretora de seguros para sua orientação.

O caso do câncer

O óbito provocado pelo câncer é considerado morte natural, uma vez que se trata de uma doença. É necessário, no entanto, entender que esse conceito se aplica quando a vida se esvai por conta da doença, mas não pelo fato de o segurado ter recebido o diagnóstico.

Assim, por exemplo, um paciente diagnosticado com câncer, ainda que terminal, ao sofrer um acidente no trânsito e falecer, será atestado como morte acidental. Por outro lado, o mesmo paciente, vindo a óbito por falência de um órgão, como consequência da doença, será tratado como caso de morte natural.

Deve-se considerar que, para as seguradoras, de modo geral, os diversos tipos de câncer podem permitir abordagens diferenciadas quanto à progressão da doença. Também aqui, é importante destacar a importância da orientação anterior de seu corretor de seguros a respeito das opções oferecidas pelas seguradoras.

Além disso, é preciso ter em mente que as apólices de seguro consideram, entre as situações excludentes de cobertura (aquelas que o seguro não cobre), a morte resultante de doença pré-existente com conhecimento e omissão do segurado. Nesse sentido, considera-se como tal a doença da qual o segurado já tinha conhecimento.

De todo modo, é possível o paciente segurado ser indenizado, mesmo que não ocorra a morte. Trata-se de cláusula que permite essa antecipação especial em razão da gravidade da doença que, muitas vezes, exige tratamentos e abordagens cujos custos podem ser muito elevados.

Importância do entendimento para os direitos sobre o seguro

Como existem diversas possibilidades de alcance entre as coberturas oferecidas para compor o seguro de vida, é necessário que haja perfeito entendimento de cada situação. Ao mesmo tempo, é preciso conhecer quais os direitos do segurado no caso de cada opção.

A contratação de um seguro deve atender às necessidades de proteção da pessoa e de sua família. Dessa forma, é uma importante saber exatamente o que o mercado oferece para poder decidir com segurança.

Por essa razão, se considera indispensável ouvir as recomendações de seu corretor, uma vez explanadas as reais demandas e expectativas da família. Assim, encontrar uma corretora de seguros experiente e de confiança pode fazer toda a diferença na hora da contratação de seu seguro de vida.

Com os conceitos bem esclarecidos a respeito das diferenças entre morte natural e morte acidental, auxiliados pelo conhecimento das categorias de cobertura existentes, é possível definir com o seu corretor quais são as necessidades da família.

Gostou do artigo? Assine nossa newsletter e saiba tudo o que você precisa sobre seguro para você e para aqueles a quem você quer bem.