Tire seus planos do papel! Veja o passo a passo para abrir um negócio

Carreira DESTAQUES POSTS

Quando pensamos em abrir um negócio, imaginamos que o procedimento resulta em obter, por fim, um número de CNPJ. Porém, na verdade, realizar o sonho do próprio negócio vai muito além da burocracia para formalização da empresa.

Um negócio com perspectivas sólidas de crescimento depende de muito planejamento, estudo, investimentos, organização das contas pessoais e — obviamente — uma boa dose de dedicação.

Acompanhe o passo a passo que montamos para você que deseja tirar suas ideias do papel, abrir seu próprio negócio e ser um empreendedor de sucesso!

Planejamento como ponto de partida

O primeiro passo para a formalização de um negócio envolve um bom planejamento, de forma que a iniciativa não seja frustrada e os investimentos e esforços sejam, de fato, úteis. Para isso, é necessário considerar vários fatores, como os mostrados a seguir.

1. Como desenvolver meu perfil empreendedor?

Para desenvolver um perfil empreendedor, é importante eleger devidamente os sócios e estudar o mercado escolhido por meio de um plano de negócios, que conterá pontos cruciais para concretização do projeto.

2. Em que consiste o plano de negócios?

O documento visa estabelecer a estratégia do empreendimento a ser formalizado, já que define todos os passos para sua concretização. É a ideia clara do que está sendo feito e pode evitar fins bem preocupantes, como os dados sugeridos pelo IBGE, que mostram que metade das empresas brasileiras não chega a 4 anos de atuação.

De acordo com o Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), o Plano de Negócios busca responder questões iniciais, como:

  • Em que se baseia o negócio?
  • Quais os produtos e serviços?
  • Quais os principais clientes?
  • Qual a localização da empresa?
  • Qual o capital a ser investido?
  • Qual será seu faturamento mensal?
  • Qual o lucro almejado?
  • Em quanto tempo o capital investido deverá retornar?

3. Preciso de um contador para minha empresa?

A formalização do negócio pode contar com o auxílio de um contador — embora essa participação não seja uma condição para abertura da empresa. O acompanhamento contábil permite ao empreendedor obter melhor alinhamento sobre as questões fiscais e trabalhistas.

A presença do contador somente é obrigatória durante a manutenção do negócio, exceto quando ele se adequa à classificação de Microempreendedor Individual (MEI).

4. Preciso emitir nota fiscal?

Sim! Qualquer empresa é obrigada a emitir nota fiscal, já que todas as suas receitas devem ser formalizadas perante os órgãos do governo, e isso somente é possível por meio da emissão de notas fiscais.

5. Tenho como calcular o capital inicial de minha empresa?

O custo para abertura de uma empresa varia muito conforme o tipo de empresa (Sociedade, EIRELI ou Empresário Individual), sua complexidade, o município de funcionamento, o ramo etc.

No entanto, algumas taxas são fixas, como o DARE (Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais), DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais), Certificado Digital, honorários da contabilidade e a Junta Comercial. Somadas, essas taxas ficam entre R$ 675,00 e R$ 751,00 (no estado de São Paulo), a depender do tipo de empresa.

6. Preciso registrar minha marca?

Embora não seja obrigatório o registro da marca no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), o procedimento é considerado importante para o empreendedor.

O registro da marca garante a identidade do negócio e sua própria proteção, coibindo reproduções e uso indevido da marca, bem como a concorrência desleal e atos de má-fé realizados por terceiros. Além disso, a marca do negócio é um elemento publicitário relevante.

7. Como conhecer meu cliente?

Além de definir o tipo de negócio e o mercado no qual se deseja atuar, é de suma necessidade conhecer o cliente.

Para isso, deve-se traçar seu perfil (como faixa etária, renda mensal e classe social), compreender suas necessidades e dores, mensurar como a proposta de seu negócio é relevante ao cliente e como atraí-lo.

Abrindo um negócio: passo a passo

Após o planejamento do negócio, é possível dar prosseguimento às etapas práticas para o registro empresarial.

Toda a burocracia envolvida nesse processo é bem conhecida — mas nem sempre apreciada — pelos empresários “veteranos”.

Atualmente, porém, alguns municípios contam com uma ferramenta que simplifica o sistema, a Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios, que permite a formalização da empresa em até 48 horas.

Conheça a seguir os documentos necessários para a abertura da sua empresa!

1. Contrato Social

O contrato social é a certidão de nascimento da sua empresa, cujo formato depende da natureza jurídica do negócio. Veja:

  • Contrato Social da Sociedade Limitada (LTDA): para casos em que a empresa ainda esteja com suas atividades em definição ou que precisem de constante atualização em relação a seu ramo de atuação;
  • Contrato Social do Empresário Individual (EI): denominado Requerimento de Empresário, esse formulário é estabelecido pelo governo federal para empresas da modalidade Empresário Individual. Nesse caso, ele não pode ser alterado e é recomendado para empresas com atividades já definidas no mercado e sem previsões de mudanças;
  • Contrato Social para Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI:) essa categoria é denominada Ato Constitutivo e funciona com os mesmos propósitos do Contrato Social do EI, não sendo permitidas cláusulas extras e alterações. A diferença é que as cláusulas padrões se adequam à legislação EIRELI, que é a empresa para profissionais liberais.

Para elaboração do Contrato Social, um modelo padrão é emitido pelas Juntas Comerciais. No documento, são solicitadas informações como o tipo de empresa, tipos e atribuições dos sócios, investimento inicial e outras.

NIRE

O chamado NIRE (Número de Identificação do Registro de Empresa) é entregue logo após o preenchimento do Contrato Social e da Ficha de Cadastro Nacional e do pagamento de taxas.

O documento constitui o registro da legalidade da sua empresa na Junta Comercial do Estado e contém um número único que valida oficialmente sua existência.

CNPJ

A solicitação do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) é feita pelo site da Receita Federal.

Nessa etapa, alguns documentos são enviados ou entregues pessoalmente à unidade do órgão, embora muitos estados brasileiros tenham um convênio com as Juntas Comerciais para emissão do CNPJ.

Inscrição Estadual

A Inscrição Estadual é solicitada no caso de empresas que atuem no ramo de produção, transporte ou venda de mercadorias, e a inscrição é realizada na Secretaria da Fazenda.

Alvará de funcionamento e localização

Para recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), é necessária a liberação de licença prévia concedida pela prefeitura municipal. Assim, fica estabelecido o endereço fiscal do negócio.

Cadastro na Previdência Social

Mesmo para empresas sem funcionários, deve-se cumprir com a retirada desse cadastro até 30 dias após início efetivo das atividades.

O cadastro é obrigatório para todo tipo de empresa e deve ser feito presencialmente pelo representante legal em uma agência do órgão.

É válido ressaltar que licenças específicas podem ser necessárias, conforme o tipo de empreendimento, por exemplo, a licença de vigilância sanitária.

Agora você entendeu que abrir um negócio vai muito além da burocracia e solicitação de emissão de documentos, não é mesmo? Assim, para alavancar um negócio próspero, não deixe de considerar nossas orientações e esteja preparado para ser um empreendedor de sucesso!

Agora que você já sabe como abrir sua empresa, é preciso despertar seu espírito empreendedor. Conheça alguns hábitos de pessoas bem-sucedidas e inspire-se com os exemplos desse post.